21 C
Rio de Janeiro

Plastiweber ganha principal prêmio do setor mundial de embalagens

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Empresa gaúcha foi reconhecida no WorldStar Awards 2023 por envelope para e-commerce desenvolvido com 75% de conteúdo reciclado

A Plastiweber, empresa gaúcha de soluções sustentáveis em plástico, conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o prêmio internacional WorldStar Award, principal reconhecimento do setor mundial de embalagens. Promovida pela Organização Mundial de Embalagens (WPO, na sigla em inglês), a cerimônia de premiação aconteceu no último sábado (6), em Düsseldorf, na Alemanha. O prêmio dado à Plastiweber foi pelo primeiro envelope de e-commerce do mercado desenvolvido com 75% de conteúdo reciclado, sendo uma solução de alta performance que chega às mãos do consumidor final e tem múltiplas possibilidades de reciclagem.

O WorldStar Awards 2023 reconheceu embalagens que se destacaram pelo caráter de inovação na indústria, pela excelência e pelos compromissos com a sustentabilidade e com a sociedade. Ao todo, foram 488 empresas, de 41 países, inscritas para concorrer aos prêmios. As 228 marcas vencedoras oferecem soluções que atendem a desafios ambientais, de higiene e tecnologia; do total, 9 premiadas são do Brasil.

O envelope de e-commerce da Plastiweber resulta de uma cadeia circular de suprimentos e concorre, em termos técnicos e sustentáveis, com outras embalagens usadas na entrega de itens vendidos pela internet, como caixas de papelão e embalagens feitas com plástico virgem. A solução atende aos mercados de moda, calçados, alimentos, informática, tecnologia, livros, games, entre outros setores que, muitas vezes, têm a demanda de uso de pacotes mais compactos e leves.

O diretor executivo da Plastiweber, Moisés Weber, e o head de novos negócios da empresa, Lucas Pellenz, estiveram na cerimônia de premiação na Alemanha. Para Weber, o simbolismo do prêmio está, em grande parte, no novo olhar que a indústria e a sociedade devem ter para o plástico:

– Existe uma ideia do plástico como o grande vilão do meio ambiente, mas é um material resistente, maleável, durável e infinitamente reciclável. O envelope de e-commerce que desenvolvemos reforça um novo paradigma para as marcas, que devem enxergar os benefícios da economia circular, e para os consumidores, que entendem que aquela embalagem pode e deve voltar à cadeia para múltiplas oportunidades de reciclagem. Essa é uma vitória dos nossos funcionários, parceiros, clientes e de toda a comunidade que trabalha conosco para dar novas vidas aos resíduos plásticos.

O diretor executivo complementa que o mercado brasileiro ainda tem um longo caminho a percorrer na aderência a embalagens mais sustentáveis:

– Parte do mercado ainda desconhece ou não compreende o verdadeiro valor de soluções desenvolvidas com materiais PCR. Todos os nossos produtos são pensados como incentivo a uma economia circular, a um novo modelo econômico que nos faz repensar nossos modos de produção e consumo. Em outros países, as empresas já estão se comprometendo com a economia circular mais a fundo, inclusive a nível de legislação, e com o desenvolvimento de embalagens monomateriais, para otimizar a reciclabilidade destas embalagens após o consumo.

Sediada em Feliz (RS), a Plastiweber tem mais 25 anos de experiência na produção de plásticos flexíveis, filmes e polímeros reciclados e é reconhecida por oferecer uma linha de embalagens secundárias 100% PCR para aplicações de alto desempenho. Em todas as embalagens desenvolvidas pela empresa, o plástico usado na produção vem de um ecossistema circular com mais de 50 atores envolvidos. São cooperativas de catadores de resíduos, escolas, projetos socioambientais, brand owners e marcas do varejo que viabilizam a logística reversa, para que o material retorne à Plastiweber e seja reinserido na cadeia produtiva.

 Foto: Diretor executivo Moises Weber e head de novos negócios Lucas Pellenz

Somente em 2022, a empresa transformou mais de 377 milhões de embalagens plásticas em novas soluções, produzindo mais de 8.209 toneladas de embalagens a partir de matéria-prima pós-consumo retirada da sociedade. Isso possibilitou a redução de emissão de 16 milhões de quilos de CO2, além de diminuir o consumo de mais de 9 milhões de litros de petróleo e de 24 milhões de quilowatts de energia elétrica. Foram gerados, ainda, 7 mil empregos diretos e indiretos em toda a cadeia.

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Advertisement -spot_img