24 C
Rio de Janeiro

Filme sobre estudo etnográfico de povos originários do Brasil é selecionado para Festival Internacional de Documentários ‘É Tudo Verdade 2024’

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

‘Tesouro Natterer’ concorre na categoria ‘Competição Brasileira – Longas e Médias Metragens’ e terá pré-estreia com entrada gratuita, em SP e RJ.

Cartaz oficial do filme ‘Tesouro Natterer’, de Renato Barbieri.

Com mais de 40 anos de carreira atuando em um cinema social de impacto, Renato Barbieri tem seu documentário, ‘Tesouro Natterer’, indicado ao Festival ‘É Tudo Verdade 2024.’ Em sua vigésima nova edição, o festival – que é classificatório para o Oscar – indica o cineasta paulista radicado em Brasília na categoria de Longas e Média Metragens ao lado de outras seis produções.

O filme conta a história de Johann Natterer, membro da Expedição Austríaca que acompanhou a vinda Arquiduquesa Leopoldina ao Brasil em 1817 e foi responsável por organizar a maior coleção de artefatos de povos originários brasileiros, com mais de 50 mil artefatos que compõem o maior acervo etnográfico sobre os indígenas do Brasil que estão preservados hoje nos dois principais museus de Viena – o Museu de História Natural e o Weltmuseum Wien. 

De acordo com a pesquisa documentária do filme, Natterer enfrentou várias adversidades em seu período de desbravação, como as variações radicais do clima, convulsões sociais e as doenças tropicais, que acometeram ele e sua equipe a condições de sobrevivência extremas.

“Nesse enfrentamento, Natterer se humanizou. Com o passar dos anos, sua escrita se tornou mais reflexiva e menos técnica, seu campo sensível começou a aflorar, superando, em parte, pensamentos supremacistas eurocêntricos”, comenta o diretor do filme. “Natterer se casou com a indígena Maria do Rego, com quem teve duas filhas e um filho. Ao final da expedição, se mudou com a família brasileira para Viena como um fato consumado”, complementa.

Retrato de Natterer. Foto: Reprodução.

O documentário ainda abre brechas para discussão sobre a repatriação de mais de 2.300 mil peças pertencentes a povos originários do Brasil. As únicas peças da coleção de Johann Natterer que estavam em solo nacional foram perdidas durante o incêndio do Museu Nacional, em 2018. 

Esse mês, o longa documental será exibido em São Paulo, no Cine Augusta e na Cinemateca, nos dias 6 e 7, respectivamente, e no Rio de Janeiro, nos dias 8 e 9, no Estação Net Botafogo e Estação Net Rio. Confira abaixo o trailer!

https://vimeo.com/864553831

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Advertisement -spot_img