19 C
Rio de Janeiro
spot_imgspot_imgspot_img
spot_img

“Guerreiros da Natureza” na trincheira

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Jorge Pontes

Não obstante o enorme potencial ambiental do Brasil, vivemos, com a “gestão” Jair Bolsonaro, um período de verdadeira escuridão nessa matéria em especial. Em quase 4 anos de governo, seguimos contabilizando recorrentes e desastrosos retrocessos na administração ambiental do país.

E retroceder, em questões ambientais, é algo perigosíssimo, pois não sabemos se ainda nos resta, nessa altura dos acontecimentos, tempo suficiente para revertermos muitos dos danos já causados à natureza.

Com o aumento da devastação de extensas áreas de cobertura florestal, como vem ocorrendo em nosso país – com a explosão da atuação criminosa de madeireiras, garimpeiros e grileiros, estamos perdendo – junto com as árvores – toda uma biodiversidade que sequer foi apropriadamente inventariada pela ciência.

E o mais inacreditável é que o governo Bolsonaro, aparentemente, vem atuando com o objetivo de enfraquecer as estruturas de fiscalização e enfrentamento aos crimes ambientais, minando suas resistências por intermédio do aparelhamento das instituições e do afrouxamento das normas de proteção do nosso patrimônio natural.

É a “passagem da boiada”, conforme as palavras de Ricardo Salles, ex-ministro de triste memória. O projeto bolsonarista para o meio ambiente é tão somente o desmonte. Não há qualquer traço de preocupação com sustentabilidade, com a salvaguarda das florestas ou da biodiversidade.

O último grande revés nesse tema foi objeto de artigo de Vinicius Sassine, publicado no dia 4 de agosto, na Folha de São Paulo, que trouxe a notícia de que policiais federais que cuidam de investigações sobre extração de ouro em terras indígenas afirmaram que as Forças Armadas teriam se recusado a fornecer aeronaves para ações que coíbem o avanço da estrutura logística mantida por quem explora essa atividade ilegal. Essa situação, segundo a matéria, estaria acontecendo de forma rotineira.

E exatamente sobre delitos e degradação do meio ambiente no Brasil, foi lançado, no dia 1º de agosto, com selo da editora Mapa.Lab, a obra “Guerreiros da Natureza – a história do combate aos crimes ambientais na Polícia Federal”.

No livro, registramos fatos e situações, desde os primórdios da criação do braço da PF especializado no combate à delinquência ambiental (DMAPH), passando pela era das grandes operações, pelo enfrentamento de biopiratas, de quadrilhas de contrabandistas de vida selvagem, de madeira ilegal, até o desenvolvimento e aplicação de sofisticadas técnicas de investigação com base em geointeligência, e do estabelecimento de cooperação internacional em alto nível, como suporte aos nossos inquéritos. Em suma, relata o despertar da consciência ambiental na PF, e a luta que seus agentes, peritos e delegados vêm travando contra a criminalidade ambiental organizada no país, em especial na região amazônica. E trata também dos retrocessos e ameaças atuais, produzindo reflexões sobre essas décadas de trabalho, com o oferecimento de sugestões de caminhos para o futuro…

Por oportuno, nas memórias dessa longa caminhada, não poderíamos deixar de registrar o apoio recebido pelo casal de ambientalistas e editores Lúcia Chayb & René Capriles, pela oportunidade que nos concederam ao disponibilizar – com bastante  regularidade – espaço na sua revista mensal ECO 21, onde publicamos dezenas de artigos ao longo de todo o período em que ficamos à frente da nossa divisão especializada. A bem da verdade, muitos dos temas abordados em “Guerreiros da Natureza” foram publicados pela ECO 21, com a benção e aprovação do nosso saudoso René Capriles.

Finalmente, se não temos conquistas a celebrar, em matéria da defesa do nosso meio ambiente, podemos ao menos esperançar, como nação, uma mudança no comando do país, a partir de 2023, por conta das eleições de outubro desse ano. A tragédia ambiental brasileira, operada pelo governo de Jair Bolsonaro, por si só, já é motivo mais do que suficiente para que o despejemos do Planalto nessa primeira oportunidade.

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Publicidade -spot_img