27.1 C
Rio de Janeiro

Relatório sobre o estado da ação climática revela atrasos no progresso em todas as vertentes, exceto vendas de veículos elétricos

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Os esforços globais para limitar o aquecimento a 1,5°C estão falhando em todos os sentidos, com os progressos recentes alcançados em todos os indicadores significativamente aquém do ritmo e da escala necessários para enfrentar a crise climática (exceto as vendas de automóveis elétricos de passageiros), de acordo com o relatório sobre o Estado da Ação Climática 2023.

Publicado no Systems Change Lab, o relatório é um esforço conjunto do Bezos Earth Fund, Climate Action Tracker (um projeto do Climate Analytics e NewClimate Institute), da ClimateWorks Foundation, dos Campeões de Alto Nível das Mudanças Climáticas das Nações Unidas e do World Resources Institute (WRI).

O Estado da Ação Climática 2023 oferece o roteiro mais abrangente do mundo sobre como fechar a lacuna global na ação climática em todos os setores e pode informar o plano de resposta rápida dos governos ao Balanço Global (Global Stocktake) na COP28.

“Num ano em que as alterações climáticas têm causado estragos em todo o mundo, é evidente que os esforços globais para reduzir as emissões têm sido insuficientes. A mudança incremental contínua não é uma opção; 1,5°C ainda é alcançável, mas precisamos urgentemente de uma mudança radical na ação climática. O relatório sobre o estado da ação climática descreve metas tangíveis setor por setor para orientar os governos na realização dessa mudança radical, em linha com o limite de 1,5°C do Acordo de Paris”, afirmou Louise Jeffery, do NewClimate Institute e uma das principais autoras do relatório.

O relatório traduz o limite de temperatura do Acordo de Paris em metas alinhadas ao objetivo de 1,5°C para 2030 e 2050, a fim de evitar a intensificação dos impactos climáticos, ao mesmo tempo que minimiza os danos à biodiversidade e à segurança alimentar. Estas metas abrangem setores que representam cerca de 85% das emissões globais de GEE — incluindo energia, edifícios, indústria, transportes, florestas e terras, e alimentação e agricultura — e também se concentram na expansão das tecnologias de remoção de carbono e no financiamento climático.

“Os esforços globais para limitar o aquecimento a 1,5°C são, na melhor das hipóteses, fracos. Apesar de décadas de alertas contundentes e apelos à ação, os nossos líderes não conseguiram mobilizar a ação climática nem perto do ritmo e da escala necessários”, afirmou Sophie Boehm, investigadora associada II, do World Resources Institute e principal autora do relatório. “Tais atrasos deixam-nos com muito poucas rotas para garantir um futuro habitável para todos. Não há tempo para pequenos ajustes. Precisamos de mudanças transformacionais imediatas em todos os setores nesta década.”

Dos 42 indicadores avaliados, apenas um — a percentagem de veículos elétricos nas vendas de automóveis de passageiros — está no bom caminho para atingir a sua meta para 2030. Dos outros 41 indicadores:

  • Seis indicadores estão “fora do rumo”, avançando na direção certa a uma velocidade promissora mas insuficiente.
  • 24 indicadores estão “bem fora do caminho”, indo na direção certa, mas muito abaixo do ritmo exigido.
  • Seis indicadores apontam na direção totalmente errada, de modo que é necessária uma inversão de marcha.
  • Cinco indicadores têm dados insuficientes para acompanhar o progresso.

“Está se tornando cada vez mais claro e urgente corrigir o rumo do clima”, disse Ani Dasgupta, Presidente e CEO do World Resources Institute. “Já sabemos o que precisa de ser feito, setor a setor, até 2030. O mundo fez alguns progressos – em alguns casos, um progresso exponencial – mas, no geral, estamos atrasados e com várias tendências movendo-se rapidamente na direção errada. Serão necessárias medidas drásticas da parte de todos nós – governos, empresas, cidades – para abraçar a mudança sistêmica necessária para criar um futuro habitável e próspero para as pessoas, a natureza e o clima.”

Alcançar rápidas transformações em todos os setores para alcançar os objetivos climáticos globais exigirá uma enorme aceleração na ação climática nesta década. Por exemplo, a análise conclui que o mundo precisa:

  • Aumentar o crescimento da energia solar e eólica. A quota destas duas tecnologias na produção de eletricidade cresceu a uma média anual de 14% nos últimos anos, mas este valor precisa atingir 24% para entrar na rota para 2030.
  • Eliminar gradualmente o carvão na produção de eletricidade sete vezes mais rapidamente do que as taxas atuais. Isto equivale a desativar cerca de 240 centrais elétricas alimentadas a carvão de tamanho médio todos os anos até 2030. A construção contínua de energia alimentada a carvão aumenta o número de centrais que terão de ser encerradas nos próximos anos.
  • Expandir a cobertura da infraestrutura de trânsito rápido seis vezes mais rápido. Isto é equivalente à construção de sistemas de transporte público aproximadamente três vezes maiores que a rede de metrô, faixas de ônibus e trilhos de metrô da cidade de Nova York a cada ano ao longo desta década.
  • A taxa anual de desmatamento – equivalente ao desmatamento de 15 campos de futebol por minuto em 2022 – precisa de ser reduzida quatro vezes mais rapidamente ao longo desta década.
  • Mudar para dietas mais saudáveis e sustentáveis oito vezes mais rápido. Isto envolve a redução do consumo per capita de carne de vaca, cabra e ovelha para aproximadamente duas porções por semana ou menos nas regiões de alto consumo (Estados Unidos, Europa e Oceania) até 2030.

É preocupante que alguns indicadores mostrem uma tendência de agravamento nos dados do ano mais recente. Os esforços para acabar com o financiamento público dos combustíveis fósseis, reduzir drasticamente o desmatamento e expandir os sistemas de precificação do carbono sofreram os reveses mais significativos no progresso num único ano, em relação às tendências recentes.

O desmatamento, por exemplo, aumentou de 5,4 milhões de hectares em 2021 para 5,8 milhões de hectares em 2022 , equivalente à perda permanente de uma área de florestas superior ao tamanho da Croácia num único ano. Da mesma forma, o financiamento governamental para combustíveis fósseis aumentou acentuadamente em 2021, com os subsídios governamentais, especificamente, quase duplicando a partir de 2020 para atingir os níveis mais elevados observados em quase uma década. Por conta da limitações de dados para 2021, este dado está provavelmente subestimado.

“Algo não faz sentido. Os mercados de energia limpa estão em alta; os governos de todos os lugares deveriam entrar em ação. No entanto, continuam a utilizar fundos e subsídios públicos para manter o nosso passado fóssil. Cumprir os nossos objetivos climáticos significa encerrar a energia a carvão sete vezes mais rápido e a energia a gás mais de dez vezes mais rápido do que hoje. É um absurdo continuar investindo em mais de ambos. Na COP28, os governos deveriam concordar com uma eliminação justa e rápida dos combustíveis fósseis”, disse Claire Fyson, uma das principais autoras do relatório e codiretora da equipe de políticas da Climate Analytics.

Mas no meio desta dura realidade, estão surgindo alguns pontos positivos encorajadores. Pela primeira vez na série sobre o estado da ação climática, a participação dos veículos elétricos nas vendas de automóveis de passageiros está no caminho certo, com essas vendas mais do que triplicando desde 2020.

“Estamos vendo os veículos elétricos decolarem mais rápido do que pensávamos ser possível há alguns anos, criando, por sua vez, enormes benefícios para a saúde pública, a economia e o clima. Se conseguirmos replicar este progresso noutras áreas, isso mostra que a mudança transformadora é possível se for prosseguida num esforço concertado e de emergência, levando-os a pontos de inflexão positivos”, afirmou Helen Mountford, Presidente e CEO da ClimateWorks Foundation.

Noutra frente de notícias encorajadoras, os indicadores centrados no aumento da divulgação obrigatória dos riscos climáticos corporativos, nas vendas de caminhões elétricos e na quota de VEs na frota de automóveis de passageiros registaram os ganhos mais significativos num único ano, em relação às tendências recentes.

Em 2022, por exemplo, o número de países com divulgações obrigatórias relacionadas com o clima cresceu de 5 nações que emitiam 3% dos GEE globais para 35 nações que emitiam 20% dos GEE globais.

Novas leis na União Europeia e noutras nações com elevadas emissões, como a Índia e o Japão, impulsionaram este aumento anual. “Estas conclusões sobre o estado da ação climática chegam num momento crucial”, disse S.E.

Razan Al Mubarak, Campeão de Alto Nível da ONU sobre Mudanças Climáticas da COP28 “Este ano, enquanto o primeiro balanço global sob o Acordo de Paris culmina na COP28, os líderes mundiais devem reconhecer o progresso insuficiente até à data e traçar um caminho a seguir que se baseie nos resultados que estamos vendo. Este momento deve servir de trampolim para ações aceleradas.” O relatório oferecerá um guia sobre como os decisores podem alocar o seu tempo e recursos limitados para enfrentar eficazmente a crise climática.

“Este excelente relatório fornece evidências convincentes de duas verdades aparentemente inconciliáveis”, disse o Dr. Andrew Steer, presidente e CEO do Bezos Earth Fund. “Em primeiro lugar, estamos mergulhados numa emergência climática e estamos criticamente fora do caminho para alcançar os nossos objetivos para 2030. Em segundo lugar, estamos a assistir a ganhos espetaculares que surpreendem até os otimistas. O progresso não é linear, mas poderosamente exponencial. Pontos de inflexão extremamente positivos estão no nosso futuro a curto prazo, se tivermos a sabedoria e a coragem para os levar até ao fim. As manchetes negativas de hoje devem provocar ação e não a paralisia. Não é tão tarde! A COP28, em dezembro, oferece uma oportunidade para os líderes escolherem a esperança em vez do desespero.”

Sobre o Systems Change Lab

O Systems Change Lab é uma iniciativa colaborativa que visa estimular ações no ritmo e na escala necessários para enfrentar alguns dos maiores desafios do mundo: limitar o aquecimento global a 1,5°C, travar a perda de biodiversidade e construir uma economia justa. Organizado pelo World Resources Institute e pelo Bezos Earth Fund, o Systems Change Lab apoia os campeões de alto nível das alterações climáticas da ONU e trabalha com os principais parceiros e financiadores, incluindo o Climate Action Tracker (um projecto do Climate Analytics e do NewClimate Institute), a ClimateWorks Foundation, a Global Environment Facility, Just Climate, Mission Possible Partnership, Systemiq, University of Exeter e Center for Global Commons da Universidade de Tóquio, entre outros. O Systems Change Lab é um componente da Global Commons Alliance.

Sobre o Fundo Bezos Earth

O Bezos Earth Fund está transformando a luta contra as alterações climáticas com o maior compromisso filantrópico de sempre para com a proteção do clima e da natureza. Está investindo 10 bilhões de dólares nesta década decisiva para proteger a natureza e impulsionar mudanças ao nível dos sistemas, criando uma transição justa para uma economia de baixo carbono. Ao fornecer financiamento e experiência, fazem parceria com organizações para acelerar a inovação, derrubar barreiras ao sucesso e criar um mundo mais equitativo e sustentável.

Sobre o Climate Action Tracker

O Climate Action Tracker (CAT) é um projeto de investigação independente que monitoriza a ação climática do governo e a mede em relação ao objetivo globalmente acordado do Acordo de Paris de limitar o aquecimento a 1,5 ̊C. Uma colaboração de duas organizações, Climate Analytics e NewClimate Institute, o CAT tem fornecido esta análise independente aos decisores políticos desde 2009.

Sobre Climate Analytics

Climate Analytics é um instituto global de ciência e política climática engajado em todo o mundo na condução e apoio à ação climática alinhada ao limite de aquecimento de 1,5°C. Possui escritórios na África, Austrália e Pacífico, Caribe, América do Norte e Sul da Ásia.

Sobre o NewClimate Institute

O NewClimate Institute é um grupo de reflexão sem fins lucrativos que apoia a implementação de ações contra as alterações climáticas no contexto do desenvolvimento sustentável em todo o mundo. O NewClimate Institute conecta pesquisas atualizadas com processos de tomada de decisão do mundo real, com foco em negociações climáticas internacionais, ação climática nacional e setorial e compromissos climáticos corporativos.

Sobre a ClimateWorks Foundation

A ClimateWorks Foundation é uma plataforma global de filantropia para inovar e dimensionar soluções climáticas de alto impacto que beneficiam as pessoas e o planeta. Oferecemos programas e serviços globais que equipam a filantropia com conhecimentos, redes e soluções para impulsionar o progresso climático para um futuro mais sustentável e equitativo. Desde 2008, a ClimateWorks concedeu mais de 1,7 bilhão de dólares a mais de 750 beneficiários em mais de 50 países.

Sobre os campeões de alto nível das alterações climáticas da ONU

Os campeões de alto nível das Nações Unidas sobre alterações climáticas para a COP27 e a COP28 – Mahmoud Mohieldin e Razan Al Mubarak – impulsionam o momentum mundial nas negociações da ONU sobre alterações climáticas. Fazem-no mobilizando a ação climática entre atores não estatais (empresas, cidades, regiões, instituições financeiras, educativas e de saúde) para alcançar os objetivos do Acordo de Paris, em estreita colaboração com a UNFCCC, a Parceria de Marraquexe e as Presidências da COP.

Sobre o World Resources Institute

O World Resources Institute (WRI) é uma organização global de pesquisa com escritórios no Brasil, China, Colômbia, Índia, Indonésia, México e Estados Unidos, e escritórios regionais na África e na Europa. Os nossos mais de 1.700 funcionários trabalham com parceiros para desenvolver soluções práticas que melhorem a vida das pessoas e garantam que a natureza possa prosperar.

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Advertisement -spot_img