27.2 C
Rio de Janeiro

LIDERANÇAS INDÍGENAS E QUILOMBOLAS SE REÚNEM COM CIENTISTAS CLIMÁTICOS E SOCIAIS EM SEMANA DEDICADA A DISCUTIR O FUTURO DO PLANETA

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Campus Antropoceno Brasil promove mesas de debates na próxima semana, de 07 a 12 de novembro, na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre.

As mudanças climáticas e crise ambiental são tema das mesas de debates que compõem o Campus Antropoceno Brasil, que começa na próxima semana em Porto Alegre. Reunindo pesquisadores reconhecidos internacionalmente, como o climatólogo Alexandre Costa e o filósofo político Rodrigo Nunes, a semana promove quatro mesas durante as manhãs nos dias 07, 09, 10 e 11/11, no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana. Além de outros pesquisadores de destaque, que vão de antropólogos a geólogos, o evento também recebe lideranças populares de comunidades tradicionais, como Berenice Gomes de Deus, ou Dona Berê, presidenta do Quilombo da Anastácia em Viamão e a líder Guarani Cacica Kerexú Takuá.

Produzido pela Associação de Práticas e Pesquisas em Humanidades (APPH) de Porto Alegre, o Campus Antropoceno Brasil é uma iniciativa que prevê reunir perspectivas distintas para tentar compreender os desafios do contemporâneo. O professor André Araujo, um dos coordenadores do projeto, vê a organização das mesas de debate como o grande trunfo da semana de atividades: “Estamos entrando em um período em que é preciso colocar a política ao lado da ciência, o moderno aliado com o tradicional. Vimos com a pandemia como essas coisas estão ligadas”, diz o pesquisador.

Na segunda-feira, 07/11, às 10h da manhã, será realizada a abertura do evento com a Mesa Antropoceno: ecologias contestadas com Alexandre Costa e a bióloga e antropóloga Lorena Fleury. Na quarta-feira, 09/11, acontece a Mesa Escalas: dinâmicas fundo-superfície com Francisco Eliseu Aquino, Renzo Taddei e Rodrigo Nunes. Já na quinta-feira, 10/11, o evento recebe Alexandro Cardoso, catador de materiais recicláveis e cientista social, para debater com os antropólogos Jean Segata e Guilherme Moura, professores da UFRGS e da USP respectivamente, para a Mesa Contaminações: confusão das fronteiras. Por fim, na sexta-feira dia 11/11, a Mesa Retomadas: outros passados, novos futuros coloca em diálogo a antropóloga e especialista no Movimento Zapatista Ana Morel, com a Cacica Kerexú Takuá e Dona Berê.

Professor André Araujo, Coordenador do Projeto – Foto: Divulgação

O QUE É O CAMPUS ANTROPOCENO BRASIL: O Campus Antropoceno Brasil oferece uma semana de debates e vivências concentrada nos desafios do nosso tempo. O evento promove um espaço para a imaginação coletiva e interdisciplinar sobre o mundo que queremos habitar e a vida que queremos viver no futuro imediato e no futuro distante. O Campus Antropoceno Brasil ocorre entre os dias 7 e 12 de novembro de 2022 na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre. Confira a programação completa do evento em campusantropocenobrasil.com

QUEM FAZ O CAMPUS ANTROPOCENO BRASIL: O evento é produzido pela APPH (Associação de Práticas e Pesquisas em Humanidades) de Porto Alegre/RS em parceria com a PUC-Rio, e realizado através do projeto “A Terra e Nós”, financiado pelo CNPq. O evento também recebe financiamento da Rede Covid-19 Humanidades, PPGAS/UFRGS, IFCH/UFRGS, Instituto Serrapilheira, Departamento de Filosofia PUC-Rio, e Editora Bazar do Tempo. Tem correalização do Goethe-Institut Porto Alegre, Anthropocene Curriculum, Haus der Kulturen der Welt e Max Planck Institute for the History of Science e apoio da Casa de Cultura Mario Quintana, Cinemateca Capitólio, Fórumdoc.BH, Livraria Baleia, Livraria Taverna, PARI-c e SEL Harvard.

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Publicidade -spot_img