23.2 C
Rio de Janeiro

BEM-VINDO AO PESADELO DA ENERGIA CARA BRASILEIRA E AO DESENHO DE POLÍTICAS EQUIVOCADAS.

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Samyra Crespo *| Ambientalista e colunista da Eco21

Ontem, véspera do “Dia do Consumidor “, gostei muito quando André Trigueiro, um dos melhores jornalistas do país na temática ambiental, usou a imagem “vôo da galinha e não da águia” como metáfora para nomear a visão de curto prazo e de pequeno fôlego das políticas energéticas no Brasil.

Apontou o atraso da nossa indústria automobilística que continua nos legando uma frota de carros obsoleta e cara, enquanto o mundo aposta nos veículos elétricos. Apontou os subsídios criminosos à indústria dos combustíveis fósseis – lobby poderosíssimo no Brasil e no mundo todo. Lembrou o erro estratégico da Petrobrás ao não adotar – como o fez a Shell e outras petrolíferas – o modelo de “empresa de energia” e apostar num portfolio de diferentes fontes.

Lembrou ainda como se atrasou a evolução dos parques eólicos e solar-fotovoltaicos com taxação, falta de incentivos e burocracia no sistema de redistribuição da energia gerada fora do sistema Eletrobrás (agora sucateado e com programa controverso de privatização). E resgatou a triste história do nosso ‘etanol’ (com base na cana de açúcar) o combustível revolucionário, cuja tecnologia de produção foi ‘case’ no mundo nos anos 80’e 90′.

Atualmente, outros países se tornaram produtores e nós importadores de álcool. A bioenergia é o futuro. Mas esse conceito nem é arranhado por aqui – embora no Paraná existam usinas eficientes que produzem energia a partir dos dejetos da suinocultura. Tantos passos errados, hesitantes, e mal planejados. Incompetência que hoje nos coloca nesta cena de atraso e carestia. Uma dupla que castiga o presente e compromete o futuro.

Samyra Crespo

Samyra Crespo | Ambientalista, coordenou a série de pesquisas nacionais intitulada “O que o Brasileiro pensa do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável” (1992-2012). Foi uma das coordenadoras do Documento Temático Cidades Sustentáveis da Agenda 21 Brasileira, 2002. Pesquisadora sênior do Museu de Astronomia e Ciências Afins/RJ. Ex-Gestora do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Publicidade -spot_img