20.8 C
Rio de Janeiro
spot_imgspot_imgspot_img
spot_img

Conservar e restaurar florestas na região de Campinas pode gerar economia de até R$ 8,3 mi por ano em tratamento de água, diz estudo

Mais lidas

eco21
eco21https://eco21.eco.br
Nossa missão é semear informação ambiental de qualidade.

Vegetação nativa no entorno de rios e nascentes reduz a turbidez da água, diminuindo a necessidade de produtos químicos no abastecimento de água. Estudo calculou impacto positivo dessa infraestrutura natural

A infraestrutura natural para a água – o manejo, conservação e restauração de florestas em áreas prioritárias para o abastecimento de água – já está resultando em economia para o tratamento e abastecimento de água na Região Metropolitana de Campinas, e pode trazer ainda mais benefícios econômicos, segundo estudo divulgado hoje por ICLEI América do Sul, com apoio do WRI Brasil.

O estudo integra o projeto INTERACT-Bio, que busca melhorar o uso e a gestão da natureza nas cidades. O trabalho mostra que 78 mil hectares de florestas e vegetação nativa conservadas no entorno dos corpos hídricos da região filtram a água e evitam a erosão e o aporte de sedimentos. Se essas florestas forem desmatadas, além de outros possíveis impactos ambientais, as empresas de saneamento da região passarão a gastar R$ 6,6 milhões a mais por ano em produtos químicos, dragagens e operações de tratamento de água.

Além disso, a restauração de áreas já degradadas na bacia traria um benefício adicional para o tratamento de água. Recuperar 14 mil hectares degradados resultaria em uma economia adicional de R$ 1,7 milhão por ano. Em outras palavras, a conservação e restauração das florestas pode resultar em uma economia de até R$ 8,3 milhões por ano.

O estudo também mostra que já há áreas em que a restauração pode começar imediatamente a partir da coordenação e sinergia de diferentes planos e políticas públicas. “Envolver e coordenar iniciativas de restauração já existentes em outros planos é crucial para acelerar a implementação de ações de infraestrutura natural na região”, diz Rodrigo Perpétuo, secretário-executivo do ICLEI.

Rodrigo ressalta que há, por exemplo, 130 hectares de áreas prioritárias para a restauração que coincidem com as priorizadas pelo Plano de Ação para Implementação da Área de Conectividade na Região Metropolitana de Campinas. “A Área de Conectividade elaborada por 20 municípios da região, com apoio do ICLEI, se apresenta como uma zona estratégica para promover iniciativas de conservação da biodiversidade, manutenção de processos ecológicos, oferta de serviços ecossistêmicos e recuperação da paisagem”, afirma.

Florestas para melhorar a segurança hídrica

O estudo parte do conceito de infraestrutura natural: investimentos e intervenções em conservação, manejo e restauração da vegetação nativa e de florestas. A ideia é considerar as florestas no planejamento de obras e ações para a segurança hídrica em conjunto com a infraestrutura tradicional.

Esse olhar integrado permite aos tomadores de decisão e gestores das empresas de saneamento melhorar a segurança hídrica. “A região metropolitana de Campinas tem enfrentado aumento das temperaturas e diminuição da disponibilidade de água nos últimos 35 anos, por conta do aumento da demanda da população e impacto das mudanças do clima”, diz Mariana Oliveira, gerente de Florestas, Uso da Terra e Agricultura do WRI Brasil. “A infraestrutura natural, aliada a ações de infraestrutura tradicional, pode contribuir para evitar ou diminuir danos de crises hídricas na região.”

Outros estudos na região Sudeste

Este é o quarto estudo sobre os benefícios econômicos da infraestrutura natural para água em grandes regiões metropolitanas da região Sudeste do Brasil. Também foram feitas análises para o Sistema Cantareira, que abastece São Paulo, e para os sistemas de abastecimento que atendem as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e de Vitória. Em todos os casos, os números mostram que as empresas de abastecimento, os governos e a sociedade como um todo reduzem custos e geram economias a partir da restauração de florestas nos entornos de rios e reservatórios.

Sobre o ICLEI América do Sul

O ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade é uma rede global de mais de 2.500 governos locais e regionais comprometida com o desenvolvimento urbano sustentável. Ativa em mais de 130 países, influencia as políticas de sustentabilidade e impulsiona a ação local para o desenvolvimento de baixo carbono, baseado na natureza, de maneira equitativa, resiliente e circular.

O ICLEI América do Sul conecta a este movimento global mais de 100 governos associados presentes em oito países. Atua para fomentar o desenvolvimento de baixo carbono, baseado na natureza, resiliente, circular, equitativo e centrado nas pessoas.

Sobre o WRI Brasil

O WRI Brasil é um instituto de pesquisa que transforma grandes ideias em ações para promover a proteção do meio ambiente, oportunidades econômicas e bem-estar humano. Atua no desenvolvimento de estudos e implementação de soluções sustentáveis em clima, florestas e cidades. Alia excelência técnica à articulação política e trabalha em parceria com governos, empresas, academia e sociedade civil.

O WRI Brasil faz parte do World Resources Institute (WRI), instituição global de pesquisa com atuação em mais de 60 países. O WRI conta com o conhecimento de aproximadamente 1.000 profissionais em escritórios no Brasil, China, Estados Unidos, Europa, México, Índia, Indonésia e África.

Notícias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

- Publicidade -spot_img