Responsabilizar as empresas pelos danos causados às pessoas e ao Planeta

Parlamento Europeu - Foto: DW



Yasmina Yakimova | Jornalista do Parlamento Europeu

Os deputados da Comissão dos Assuntos Jurídicos abrem caminho para uma nova Lei da UE que exige que as empresas cumpram os direitos humanos e as normas ambientais nas suas cadeias de valor.

O projeto de iniciativa legislativa (aprovado por 21 votos a favor, um contra e uma abstenção) insta a Comissão a apresentar urgentemente uma lei que garanta que as empresas sejam responsabilizadas e responsabilizadas quando prejudicam – ou contribuem para prejudicar – os direitos humanos, o ambiente e bom governo. Deve também garantir o acesso a recursos legais para as vítimas.

Sustentabilidade e boa governança

As regras vinculativas de devida diligência da UE obrigariam as empresas a identificar, abordar e remediar aspectos da sua cadeia de valor (todas as operações, relações comerciais diretas ou indiretas, cadeias de investimento) que podem ou infringem os direitos humanos (incluindo direitos sociais, sindicais e laborais), meio ambiente (incluindo contribuição para as mudanças climáticas) e boa governança.

Trazendo mudanças para além das fronteiras da UE

Todas as empresas que pretendam aceder ao mercado interno da UE, incluindo as estabelecidas fora da UE, teriam de provar que cumprem as obrigações ambientais e de devida diligência em matéria de direitos humanos. Os eurodeputados apelam a medidas adicionais, incluindo a proibição da importação de produtos associados a graves violações dos direitos humanos, como trabalho forçado ou infantil. Estes objetivos devem ser incluídos nos capítulos sobre comércio e desenvolvimento sustentável dos acordos comerciais da UE.

Os eurodeputados sublinham ainda que, para garantir uma reparação eficaz às vítimas, as empresas devem ser responsabilizadas pelas suas ações e multadas por causar danos ou contribuir para os mesmos, a menos que possam provar que agiram em conformidade com as obrigações de devida diligência e tomaram medidas para prevenir tais danos. Os direitos das vítimas ou partes interessadas em países terceiros – que são especialmente vulneráveis – também seriam mais bem protegidos.

Amplo escopo e ajuda para PMEs

Qualquer futuro quadro legislativo sobre a devida diligência deve ser amplo e aplicar-se a todas as grandes empresas da UE, incluindo as que prestam serviços financeiros. As regras devem aplicar-se também às PME (Pequenas e Medias Empresas) cotadas publicamente e às PME de alto risco, que devem receber assistência técnica para cumprir os requisitos.

Citar

“Uma nova lei sobre a devida diligência corporativa estabelecerá o padrão para uma conduta empresarial responsável na Europa e além. As empresas não poderão mais prejudicar as pessoas e o planeta sem serem responsabilizadas”, disse a relatora Lara Wolters (S&D, NL). “As novas regras responsabilizarão as empresas legalmente por evitar e limitar os riscos em toda a sua cadeia de valor. Eles darão às vítimas o direito legal de apoiar e buscar reparações e garantirão justiça, igualdade de condições e clareza jurídica para todas as empresas, trabalhadores e consumidores”, acrescentou.

Fundo

As estruturas internacionais existentes sobre devida diligência, como os Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos e as diretrizes da OCDE para Empresas Multinacionais, provaram que uma abordagem voluntária não aborda suficientemente os impactos negativos das atividades empresariais globalizadas.

Um estudo da Comissão publicado em Fevereiro de 2020 concluiu que apenas uma em cada três empresas na UE atualmente está tomando medidas de devida diligência, enquanto cerca de 70% das empresas europeias inquiridas apoiam as regras de devida diligência em toda a UE. Durante uma troca de opiniões com a Comissão dos Assuntos Jurídicos, o Comissário da Justiça Reynders prometeu que a próxima proposta legislativa, prevista para o primeiro semestre do ano, será parte integrante do Acordo Verde Europeu e do Plano de Relançamento Europeu.

https://www.europarl.europa.eu/news/en/press-room/20210122IPR96215/meps-hold-companies-accountable-for-harm-caused-to-people-and-planet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui