Preservação da biodiversidade pode contribuir para evitar proliferação de vírus e novas epidemias

Jacarés no Pantanal - Foto: Claudio Savaget


A comemoração do Dia Mundial da Biodiversidade, no dia 22/05, em meio à atual pandemia serve para alertar sobre a importância da preservação da natureza como forma de contribuir para o equilíbrio dos ecossistemas e de evitar o risco de situações de proliferação de vírus e ocorrências de epidemias, como o novo coronavírus.

O Brasil é o país com a maior biodiversidade do Planeta. Esse fato representa um valor inestimável para o mundo inteiro, uma vez que a diversidade da natureza é a chave para a sobrevivência humana. Proteger toda essa riqueza natural não é algo simples e exige cada vez mais atenção de todas as pessoas e requer muita pesquisa científica.

Embora poucos tenham conhecimento deste risco, as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade, e o consequente desequilíbrio ecológico, são fatores que possibilitam o surgimento de novas pandemias, como foi com o Ebola, por exemplo. Isto pode estar relacionado aos animais que, por conta de seu hábitat natural ser prejudicado, acabam migrando para centros urbanos. Interações entre esses animais e os humanos podem desencadear a expansão dessas doenças – e até mesmo o surgimento de novas enfermidades. 

“Quando o Homem devasta a natureza, ele acaba colocando à prova a própria existência, pois a perda do habitat – provocada por desmatamentos e destruição de florestas, poluição de rios, queimadas e outras ações humanas – levam os animais a invadir os centros urbanos, que avançam sobre onde antes viviam em paz. Isso faz com que doenças novas cheguem a ambientes urbanos, como é o caso da febre amarela, que antigamente se restringia às áreas rurais e florestais, mas que hoje já ocorre até mesmo em São Paulo”, argumenta Douglas Trent, ecólogo estadunidense há 40 anos no Brasil e Diretor de Pesquisas do Projeto Bichos do Pantanal.

Realizado pelo Instituto Sustentar e patrocinado pela Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental, o Bichos do Pantanal é um projeto que abrange desde a Educação Ambiental, priorizando a conexão com a natureza, desenvolvimento do Turismo sustentável local – principalmente o Turismo de Observação da Vida Silvestre, e a pesquisa científica, que busca entender as interações ecológicas da biodiversidade do Pantanal, o bioma mais preservado em nosso país.

Projeto aposta na educação ambiental e conexão com a natureza

Na tentativa de conscientizar as pessoas sobre a necessidade da conservação ambiental, o projeto Bichos do Pantanal criou várias ações que estão em curso nessa semana da biodiversidade. Dentre elas, o curso virtual sobre a conexão com a natureza como ferramenta pedagógica, voltado para profissionais da educação, professores, nos dias 20 e 25 deste mês. “O objetivo é capacitar educadores para que eles levem ao conhecimento de jovens e crianças a importância da preservação do meio ambiente, desperte neles a paixão e o respeito pela natureza como o caminho a seguir na conservação da nossa Biodiversidade, pois acreditamos que quem conhece ama e cuida”, comenta Jussara Utsch, Diretora Executiva do Instituto Sustentar. Duas outras Lives no Instagram e Youtube seguem na programação da semana: o “Ciclo das águas do Pantanal e a Biodiversidade Aquática”, tema abordado pelo Doutor em ecologia e limnologia, pesquisador Wilkinson Lázaro, no próximo dia 20 de maio (4ª feira), às 17h, horário de Brasília (às 16h no Mato Grosso), e “Conhecendo a Fauna Pantaneira, desmistificando os saberes e fomentando a empatia com as espécies”, com professor, biólogo e pesquisador Mahal Massavi, no dia 22 (6ª feira), no mesmo horário acima mencionado, encerrando a semana da Biodiversidade com conteúdos educativos e exclusivos do Projeto Bichos do Pantanal, realizado pelo Instituto Sustentar e patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Para mais informações sobre as atividades, basta seguir as redes sociais do Projeto Bichos do Pantanal:

Projeto Bichos do Pantanal

Com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Bichos do Pantanal atua na região do Alto Pantanal (Cáceres e Porto Estrela – MT) desde 2013. O foco é nas áreas de Educação Ambiental, pesquisas que ampliam o conhecimento científico visando a preservação de espécies da fauna pantaneira e a promoção da sustentabilidade local por meio do Turismo Sustentável. O Projeto já mobilizou, em diversas atividades (entre cursos, eventos, capacitações, atividades de mobilização social e Educação Ambiental), mais de 550 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos, comunidade escolar, moradores, visitantes e turistas nos municípios de Cáceres e Porto Estrela e Estado do Mato Grosso.

Saiba mais em: bichosdopantanal.org

Instituto Sustentar

O Projeto Bichos do Pantanal é realizado pelo Instituto Sustentar, OSCIP com sede em Belo Horizonte e atuação nacional e internacional. A entidade é dedicada à implementação e execução de projetos que buscam a sustentabilidade econômica, social e ambiental, junto à iniciativa privada, entidades da sociedade civil e setor governamental. O objetivo é promover pesquisas técnico-científicas e boas práticas institucionais e empresariais que permitam o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.

Saiba mais em: http://institutosustentar.net/


Créditos:

Pauliane Gonçalves | Jornalista Verdelho Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui