Os muitos benefícios socioeconômicos das energias renováveis

Foto: Acciona


Pepa Mosquera || Codiretora do Energias Renováveis

A ponto de iniciar 2020, um ano que se apresenta decisivo em múltiplas frentes – luta contra o aquecimento global, proteção do meio ambiente, gestão sustentável dos recursos, transição energética – não é demais falar de novo sobre os muitos benefícios que aportam as energias renováveis para fazer frente a todos esses desafios. Neste caso, nos centraremos nos socioeconômicos.

Um informe publicado em meados do ano pela Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA) deixa isso muito claro: se duplicarmos a participação atual das energias renováveis na combinação energética mundial, o Produto Interno Bruto (PIB) mundial aumentaria em até 1,1%, aproximadamente 1,3 trilhões de dólares, para 2030. Isso porque estas tecnologias proporcionam muitos benefícios económicos diretos e indiretos, em escala micro e macro. Estes são alguns deles:

Criação de empregos

Com dados de Maio de 2019, 11 milhões de pessoas trabalharam em 2018 em energia renovável no mundo. Eles são 7% mais do que os 10,3 milhões de empregos registrados em 2017. Nunca antes as energias limpas deram tanto trabalho. O setor oferece muitos tipos diferentes de trabalhos: na fabricação, instalação, engenharia, vendas, marketing… A energia solar fotovoltaica e eólica ainda são as mais dinâmicas de todas as renováveis na criação de empregos, com a energia fotovoltaica na liderança. Geograficamente, a Ásia abriga mais de três milhões de empregos fotovoltaicos, quase 90% do total mundial. Nos Estados Unidos, o Bureau of Labor Statistics (BLS) espera que entre 2016 e 2026 o número de pessoas que trabalham na instalação de sistemas solares ou na manutenção de turbinas eólicas cresça 100%.

Renda para o mundo rural

A energia renovável fornece uma fonte adicional de renda para proprietários de terras e municípios rurais. Como referência: na Espanha, em Aragão, onde estão sendo desenvolvidos muitos dos projetos eólicos e fotovoltaicos obtidos nos leilões de 2016 e 2017 e que devem ser concluídos em 2020, os promotores dessas instalações pagarão cerca de 14 milhões de euros para municípios e indivíduos, valor que será distribuído em aproximadamente 50%, entre impostos e aluguel de terras. Durante os 30 anos de operação dos parques, eles receberão cerca de 420 milhões de euros a mais.

Economia de fatura elétrica

A mudança para energia renovável permite que proprietários, empresas e indústrias economizem dinheiro nas suas contas de luz. A instalação de painéis solares numa propriedade permite que a própria eletricidade seja gerada, no todo ou em parte, para que a conta de eletricidade seja visivelmente reduzida, embora a quantidade exata a ser economizada dependa de fatores diferentes. Um deles, o local onde a instalação está localizada. Os sistemas de energia renovável também podem ajudar a aumentar significativamente o valor de um imóvel e, se você quiser vendê-lo, tornar a venda mais rápida. Nos Estados Unidos, estima-se que a instalação de painéis solares numa casa aumente o valor em uma proporção de 20 dólares por cada euro economizado na conta.

Independência energética e preços estáveis

O uso de mais energias renováveis poderia ajudar a países como a Espanha a reduzir significativamente sua alta dependência energética e a necessidade de importar combustíveis de terceiros países e também a estar menos exposto a mudanças no preço de tais combustíveis. Além disso, os recursos de energia renovável não se esgotam, para que o país possa garantir independência a longo prazo. Segundo dados da Secretaria de Estado do Comércio da Espanha, nos primeiros sete meses de 2019 (Janeiro-Julho) a conta de energia no país foi de 26.261 bilhões de euros; uma fortuna que saiu dos cofres espanhóis para comprar petróleo e gás em países como Nigéria, Irã ou Arábia Saudita. Além disso, embora a construção de usinas de energia renovável exija um investimento inicial substancial, essas instalações são mais baratas de operar do que aquelas baseadas em combustíveis fósseis. Isso se deve em grande parte à gratuidade dos combustíveis com os quais eles operam: ar, sol, água. Portanto, o preço da eletricidade produzida é mais baixo.

Menor impacto climático

Eventos climáticos extremos, piora da qualidade do ar, aumento do nível do mar e outros efeitos do aquecimento global têm um custo crescente. Segundo um relatório recente do Boston Consulting Group, o custo de não agir para conter as mudanças climáticas “excede em muito o impacto econômico que um investimento pesado representaria para descarbonizar o Planeta”. Os autores do estudo acrescentam que novos avanços e desenvolvimentos em tecnologias de baixo carbono “demonstraram que a redução de emissões tem cada vez mais um impacto econômico positivo”, a ponto de que, para muitos países, essa redução de emissões é se traduz num aumento do PIB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui