O Canadá apoiará com US $ 6,5 milhões os pequenos produtores da Bolívia, Honduras, Nicarágua e Peru, impactados pela pandemia

Agricultora boliviana na colheita de quinoa que não foi boa - Foto: Miriam Jemio



Os recursos irão para o Programa de Resposta e Recuperação da FAO ao COVID-19, que aumentará a resiliência de pequenos produtores, especialmente mulheres, jovens e povos indígenas, beneficiando 48 mil pessoas nos 4 países.

O Governo do Canadá contribuirá com US $ 6,5 milhões para o Programa da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) para Resposta e Recuperação ao COVID-19 , para apoiar a recuperação dos pequenos produtores afetados pela pandemia COVID-19 na Bolívia, Honduras, Nicarágua e Peru.

Um total de 48.000 pessoas serão beneficiadas com o programa nos quatro países, que terá um enfoque especial nas mulheres, jovens e povos indígenas. A contribuição do Canadá terá como alvo a população mais vulnerável, evitará novas crises, aumentará a resiliência e reconstruirá e transformará de forma sustentável seus sistemas alimentares.

Grâos de quinoa boliviano

“Agradecemos o apoio do Canadá em ajudar as comunidades mais vulneráveis ​​desses quatro países a se recuperarem do enorme golpe que sofreram como resultado da pandemia. Vemos um aumento acentuado da pobreza e da fome entre mulheres, jovens e comunidades indígenas. A solidariedade do Canadá os ajudará a se levantar. Trata-se de que, ao mesmo tempo, possam transformar seus sistemas agroalimentares, para que sejam mais resilientes aos choques futuros ”, disse Julio Berdegué, Representante Regional da FAO para a América Latina e Caribe.

“O Canadá continuará a trabalhar com a comunidade global para fortalecer a resiliência dos sistemas agroalimentares e proteger os meios de subsistência das pessoas afetadas pela pandemia”, disse Karina Gould, Ministra do Desenvolvimento Internacional do Canadá.

O acordo global entre o Canadá e a FAO prevê um total de 17,7 milhões de dólares americanos para ajudar as comunidades em risco de insegurança alimentar aguda na República Democrática do Congo, Etiópia, Níger, Sudão do Sul e Sudão, além do quatro países latino-americanos.

Bolívia

Com US $ 2,17 milhões, na Bolívia a FAO apoiará a segurança alimentar e a resiliência em territórios comunais nas macrorregiões dos Vales e do Chaco, beneficiando 10.000 membros de povos indígenas e 10 de suas organizações locais e comunitárias.

A FAO trabalhará com o Ministério da Defesa e o Ministério de Desenvolvimento Rural e Terras, a corporação canadense sem fins lucrativos, Société de coopération pour le développement international (SOCODEVI), para implementar o Programa de Resposta e Recuperação COVID-19 no país .

Peru

O Peru terá US $ 1,9 milhão para garantir a segurança alimentar e nutricional e melhorar a resiliência dos meios de subsistência dos povos indígenas da Amazônia peruana afetados pelo COVID-19. As intervenções vão beneficiar mais de 6 mil pessoas pertencentes a 13 povos indígenas da província de Atalaya, na região de Ucayali, e da província de Satipo, na região de Junín, ambas localizadas na área central do país.

A FAO trabalhará com os ministérios da Cultura, Desenvolvimento e Inclusão Social, Mulheres e Populações Vulneráveis, Desenvolvimento Agrário e Irrigação, e com os governos regionais e locais e organizações de povos indígenas.

Honduras

Em Honduras, US $ 1,6 milhão será usado para construir a resiliência e resiliência dos pequenos agricultores, por meio do empoderamento socioeconômico das populações rurais vulneráveis. As intervenções do Programa FAO de Resposta e Recuperação ao COVID-19 vão beneficiar 18 mil pessoas, com atenção especial para mulheres e jovens, em três mancomunidades: Associação de Municípios Fronteiriços de Intibucá, Mancomunidad de Municipios del Centro de la Paz, e Comunidade de Municípios do Norte de Choluteca.

A FAO trabalhará com a Secretaria de Agricultura e Pecuária (SAG), a Diretoria de Ciência e Tecnologia Agrícola, a Unidade de Agricultura Familiar da SAG, o Serviço de Empreendedorismo e Pequenos Negócios (SENPRENDE), o Instituto Nacional da Juventude (INJ), o Instituto Nacional de Capacitação Profissional (INFOP) e lideranças de comunidades indígenas.

Nicarágua

O acordo entre a FAO e o Canadá prevê US $ 1,5 milhão para a Nicarágua, que será utilizado para apoiar 14 mil pessoas na área do Corredor Seco, com medidas de recuperação do COVID-19, com foco em gênero, inclusão e sustentabilidade ambiental.

O projeto será implementado diretamente com uma grande participação de mulheres e jovens organizados em cooperativas, pequenos negócios, empreendimentos individuais ou coletivos e bancos de sementes comunitários. A FAO trabalhará em parceria com o Instituto de Tecnologia Agrícola da Nicarágua, a Red Seeds of Identity e a Entre Mujeres Foundation, entre outros.

FONTE:

http://www.fao.org/americas/noticias/ver/es/c/1418152/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui