GOVERNADORES SE UNEM EM PROL DO CLIMA



Elisa Homem de Mello | Fundadora da EBVB e correspondente da Revista ECO21 em SP

Motivados pelas oportunidades e pelos altos investimentos financeiros realizados em prol da economia verde, os Governadores do Brasil, também preocupados com a má imagem que o Governo Federal vem deixando no mundo, se uniram para firmarem carta compromisso de combate e adaptação às mudanças climáticas.

A ideia é avançar na integração de políticas subnacionais para o cumprimento das metas do Acordo de Paris e o fortalecimento de eixos econômicos sustentáveis, bem como criar um conselho que estabeleça ações concretas e incentive todas as formas de energia limpa, economia inclusiva, preservação da floresta em pé e as condições necessárias para que a temperatura da Terra não exceda os 2ºC.

A abertura do 1º Encontro Internacional Governadores pelo Clima, que contou com a participação de Gilberto Gil cantando e tocando Refazenda, foi coordenada pelo Centro Brasil no Clima (CBC), um “think tank” carioca suprapartidário idealizado pelo ambientalista brasileiro, morto em julho passado durante um acidente, Alfredo Syrkis.

Estiveram presentes no evento virtual Governadores e Vices de 10 Estados brasileiros: Renato Casagrande (ES), João Doria (SP), Hélder Barbalho (PA), Vanderlei Barbosa (TO), Marcus Vinícius Britto (DF), Flavio Dino (MA), Paulo Câmara (PB), Wellington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN) e Eduardo Leite (RS). Cada um traçou o perfil de suas agendas ambientais, cuja base está em valorizar o planejamento ambiental de acordo com cada bioma e riqueza natural disponível. Governadores e Conselheiros norte-americanos: Jerry Brown, ex-Governador da Califórnia e sua consultora sênior, Aimee Barnes; Reed Schuler, conselheiro do Governador de Washington, Jay Inslee. Pela Argentina falou Manuel Jaramillo, diretor geral da Fundación Silvestre. Além do Embaixador da União Européia no Brasil, Ignacio Ybañes Rubio; da Diretora da Comissão Europeia para a Ação Climática, Yvon Slingemberg; e de Sergio Xavier, coordenador e articulador político do CBC.

Uma das grandes apostas para o combate ao clima, segundo Sergio Xavier, é o hidrogênio verde, uma vez que a descarbonização do planeta é um dos objetivos estipulados por países de todo o mundo até 2050. A descarbonização do hidrogênio, responsável por mais de 2% das emissões totais de CO2 no mundo, resulta no hidrogênio verde, que tem sido usado na indústria química há mais de um século. O Brasil, tem grande potencial para produzir hidrogênio verde, e pode se tornar exportador deste combustível, por meio de subsídios e investimentos em novas tecnologias, pavimentadas na estratégia europeia do Green Deal. “A maioria das alternativas da economia verde pode ser uma grande solução para o Brasil, especialmente para as regiões mais pobres. Podemos combater a pobreza e atacar o aquecimento global simultaneamente”, afirmou Xavier.

Na carta, os governadores reafirmam o compromisso com o Acordo de Paris e dizem que avanços no Brasil só serão obtidos com o combate ao desmatamento e às queimadas. Falaram também na necessidade de promoção de energias limpas, da agricultura de baixo carbono e no aumento do uso de biocombustíveis.

“O Brasil poderia saltar da oitava economia convencional do planeta, medida pelo velho PIB poluidor, para a primeira economia verde da Terra, medida por indicadores de inclusão, biodiversidade e sustentabilidade”, segundo Guilherme Syrkis, diretor-executivo do CBC. 

O Encontro Internacional Governadores pelo Clima sinaliza que os governos locais têm cada vez mais protagonismo na agenda climática e na tomada de ações concretas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui