Em Dia da Camada de Ozônio, ONU ressalta importância cooperação internacional



ASCOM | PNUMA

As Nações Unidas celebram neste 16 de Setembro o Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio. Em 2020, a celebração tem o lema “Ozônio para a vida: 35 anos de proteção da camada de ozônio”, marcando o aniversário da Convenção de Viena.

Foi esse Tratado que, juntamente com o Protocolo de Montreal, uniu o mundo no propósito de se eliminar os gases que provocam o buraco nessa camada essencial para proteger a vida da radiação ultravioleta.

Em 1994, a Assembleia Geral proclamou a data para lembrar a assinatura do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio.

Em mensagem, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, incentiva a ação conjunta para preservar a camada de ozônio. O apelo do chefe da ONU é que essa vontade seja aplicada “para curar o planeta e forjar um futuro mais brilhante e mais justo para toda a humanidade”.

A Diretora-Executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Inger Anderson, lembrou que foi a cooperação internacional que colocou a Camada de Ozônio no caminho da recuperação, protegendo a saúde humana e os ecossistemas.

Para Anderson, essa colaboração demonstra que trabalhando em conjunto podem ser resolvidos “problemas em escala global”.

Futuras gerações

Anderson afirmou que tal união de propósitos é “mais necessária que nunca” à medida que se busca lidar com perdas na natureza, as mudanças climáticas e a poluição no contexto da pandemia e das discussões sobre a reposição do fundo multilateral.

O PNUMA realça que a eliminação gradual e o uso controlado de substâncias que destroem a camada de ozônio “ajudaram a proteger a Camada de Ozônio para as gerações atual e futura”.

Outros benefícios foram contribuir de forma significativa para impulsionar os esforços globais para lidar com a mudança climática e proteger a saúde humana e os ecossistemas, limitando a radiação ultravioleta sobre a Terra.

Foi a confirmação científica do desgaste da Camada de Ozônio que deu origem à Convenção de Viena para a Proteção da Camada de Ozônio. Esses dados levaram a comunidade internacional a adotar o mecanismo de cooperação inicialmente assinado por 28 países, em 22 de Março de 1985.

Substâncias

O Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio foi criado em setembro de 1987. O documento previa medidas para controlar a produção e o consumo global de produtos químicos prejudiciais à camada.

Com base no desenvolvimento científico e da informação tecnológica, o Protocolo definiu o controle de cerca de 100 produtos químicos de diversas categorias.

Para cada grupo ou anexo desses produtos químicos, o tratado tem um calendário para a eliminação progressiva de sua produção e consumo em direção a um banimento completo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui