26 de Julho: Dia Internacional para a Conservação do Ecossistema dos Manguezais

36
Foto: Mangrove Action Project


Sheila Wertz-Kanounnikoff || Diretora Florestal da Divisão de Política e Recursos Florestais da FAO

Por que e como precisamos salvar os mangues.

Em meio à crescente preocupação com o desmatamento, há relativamente pouca consciência sobre um dos aspectos mais alarmantes dessa tendência: o declínio dos manguezais do mundo.

Sheila Wertz – Foto: IISD

Os manguezais estão entre as maravilhas do nosso mundo natural. São sistemas únicos de árvores e arbustos, de terra e água, conhecidos pela sua beleza, mas que também desempenham um papel vital na proteção e nutrição das populações e hábitats do litoral e do interior, sustentando simultaneamente uma extraordinária diversidade de vida.

Milhares de pessoas em 128 países dependem diretamente dos manguezais para obter produtos como madeira, peixes, caranguejos, camarões, moluscos e medicamentos, que são essenciais para a sua subsistência, segurança alimentar e nutrição. Eles também estão protegidos por esses ecossistemas, que são exclusivamente adaptados a ambientes salinos. Os manguezais são resistentes a marés extremas e ajudam a capturar a sedimentação. Eles ajudam a estabilizar as linhas costeiras, reduzir as inundações e mitigar outros desastres naturais ao diminuir as ondas e o vento.

Mas eles também têm seus limites. Desenvolvimento costeiro, práticas agrícolas e aquícolas insustentáveis e outros fatores levaram à rápida perda dos manguezais do mundo.

Pescador no mangue Foto: Carlão Limeira

Vinte por cento dos manguezais do mundo foram perdidos entre 1980 e 2005. Este declínio já causou um impacto negativo em inumeráveis comunidades das costas e ameaça aumentar a vulnerabilidade da pesca de pequena escala que depende fortemente dos hábitats costeiros. Qualquer tipo de ação para conservar e restaurar os manguezais precisa abordar os vários fatores de sua degradação e perda, incluindo aqueles ligados à atividade humana.

Amortecedores contra as mudanças climáticas

Cada vez mais, os manguezais estão sendo afetados negativamente pelas mudanças climáticas, incluindo eventos climáticos extremos, ventos fortes, ondas poderosas, elevação do nível do mar e mudanças no solo, populações de pragas e doenças. Isso é particularmente preocupante, pois os manguezais também são um dos principais aliados do Planeta contra as mudanças climáticas.

Foto: Carlão Limeira SENAC

Estudos descobriram que, juntamente com hábitats como marés, ervas marinhas e colônias de algas, os manguezais estão entre os sistemas mais capazes do mundo quando se trata de sequestrar carbono, parte do processo considerado essencial para retardar as mudanças climáticas.

O potencial dos manguezais para ajudar a combater a mudança climática, conservar a biodiversidade, melhorar a segurança alimentar e nutricional e apoiar o bem-estar humano ressalta a importância do desenvolvimento de estratégias e práticas para manejar esses ecossistemas resistentes, mas cada vez mais vulneráveis.

O manejo sustentável dos manguezais pode ajudar a consecução da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e seus ODS, incluindo particularmente o ODS 15 (Vida Terrestre), ODS 14 (Vida Subaquática) e o ODS 13 (Ação Climática). Esta é uma área em que a formulação e a ação urgentes de políticas podem ajudar a liderar o caminho.

Adotando ações

Muitos países expressaram determinação em reverter a tendência contra a perda e degradação dos manguezais. Pelo menos 45 nações mencionaram especificamente os manguezais em seus planos nacionais para enfrentar as mudanças climáticas. Vinte e oito países mencionaram os manguezais nos seus programas de restauração, e 62 os indicaram nos seus planos nacionais de biodiversidade.

Foto: Lúcia Chayb

O que é necessário agora é converter essa vontade política o mais rápido possível em política, planejamento e ação no terreno e adotar uma abordagem holística para conservar, restaurar, gerenciar e usar os manguezais de maneira sustentável. Por exemplo, um plano de ação deve levar em conta o fato de que os manguezais, os tapetes de ervas marinhas e os recifes de coral são ecossistemas interdependentes dentro dos complexos costeiros e que mudanças em qualquer um deles afetariam os outros.

Mas, pode ser feito – e precisa ser feito – mais. Com a necessidade urgente de estabelecer metas mais ambiciosas na luta contra as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade, os países têm a oportunidade de expandir as ações nos manguezais, por exemplo, na próxima revisão de suas contribuições climáticas nacionais sob a Convenção sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC).

Manter os manguezais do mundo saudáveis exigirá uma combinação de gestão costeira integrada, uma governança que integre políticas entre setores e compartilhamento de conhecimentos técnicos e práticas eficazes, além de esforços para melhorar os meios de subsistência e as capacidades das pessoas cujas ações afetam mais diretamente os manguezais, como agricultores rurais, pescadores e colheitadeiras de madeira.

Uma abordagem holística para proteger e restaurar os recursos naturais reflete princípios que já estão sendo aplicados por muitos países para promover a agricultura e o desenvolvimento sustentáveis. Ao observarmos o Dia Internacional para a Conservação do Ecossistema dos Manguezais (26 de Julho), somos lembrados de que os manguezais também precisam urgentemente ser incluídos nesses esforços, antes que seja tarde demais.

—-

Este artigo foi escrito por Sheila Wertz-Kanounnikoff, Diretora Florestal Sênior da Divisão de Política e Recursos Florestais da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), e por Vera Agostini, Diretora Adjunta da Divisão de Políticas e Recursos de Pesca e Aquicultura da FAO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui